24: Live Another Day S09EP06 – 04:00 PM – 05:00 PM

Se o quinto episódio foi um dos com mais acção, o sexto reserva-nos uma das horas mais tensas da vida Jack Bauer. No seguimento dos acontecimentos prévios, e principalmente após o atentado à equipa de intervenção da CIA, não restam a Heller muitas hipóteses senão aceder ao pedido de Jack, e colocar este de novo no terreno, na tentativa de encontrarem Margot Al-Harazi antes dos atentados que planeia. Jack exige a presença de Kate para sua parceira, o que acaba por ser aceite, e juntos vão em busca do seu alvo. Todavia, a tensa situação vivida entre americanos e ingleses continua a escalar, culminando mesmo com o primeiro-ministro Inglês, Davies, a ordenar um ataque à operação de Jack, que acaba por resultar na morte de alguns soldados, bem como do contacto que Jack pretendia. A somar a isto, Mark recebe um telefonema do embaixador russo, a exigir que Jack seja entregue ao seu governo por crimes vistos em temporadas anteriores. Por outro lado, também na sede dos terroristas existem alguns contratempos. A irmã e sobrinha do recente falecido Naveed procura-o, mas estranhando o seu silêncio, acaba por deixar uma mensagem no voice mail que Margot Al-Harazi consegue interceptar. Esta manda a sua filha, Simone, averiguar o quanto elas sabem do plano e, claro está, se tal se justificar, não deixar nenhuma ponta solta. Simone vê-se assim numa situação periclitante, que resulta na morte da cunhada, na fuga da sobrinha, e durante uma perseguição a pé, no seu atropelamento, que pelo que nos é dado a entender, não fica nada bem tratada. A fechar o episódio, e bem ao jeito de 24, recheado de twists e traições, somos confrontados com uma importante revelação de Navarro e uma muito misteriosa voz ao telefone, que tudo indica ser mais um elemento na conspiração que se advinha.

Kiefer-Sutherland-Tate-Donovan-Jack-Bauer-confronts-Mark-Boudreau-24-Live-Another-Day-Episode-6

Como referi anteriormente, o sexto episódio é um perfeito crescendo de tensão até ao contar do relógio final. Desde o início do episódio que decorrem várias linhas narrativas em simultâneo, e que se interligam, aplicando, além de uma forte noção de ritmo, uma grande dinâmica a toda a narrativa. Da mesma forma, temos tal como aconteceu no episódio anterior, excelentes cenas, primeiro entre Mark e Jack em que ambos se confrontam sobre a posição de cada um deles perante Audrey, e depois entre Mark e Audrey, onde mais uma vez, fica bem patente o que esta ainda sente por Jack. O telefonema do embaixador russo é particularmente acutilante, seja pelo que diz, como diz, ou até pela personagem em si, que nos garante sem qualquer dúvida, que muita água ainda para está para correr neste campo. 24 continua igualmente a ser visceral e certeiro em cenas mais pesadas, tal como é o caso da tortura à agente Kate (exemplarmente bem conseguida e interpretada). Para ajudar esta tensão paralela em todos os acontecimentos, temos uma montagem sóbria, tremendamente eficaz, acompanhada pela música frenética e ritmada que “embalam” e envolvem na perfeição o espectador nos minutos, de mais uma hora, de mais um dia infernal da vida de Jack Bauer… um homem que simplesmente não tem descanso…

Mark: I´m worried… what your presence here may do to her…

Jack: What do you want from me?

Mark: Your help… stay away from her…

Jack: Mr. Boudreau, if I live through today, which by the way is highly unlikely, I´m going straight to prison. I´m the last thing you need to worry about.

 

Voltar à página inicial da série 24: Live Another Day

Autor: Andre Santos Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário