Coleccionismo de Mega Drive

INTRODUÇÃO

Muitos de nós (eu incluído) que neste momento estão nos seus anos 20-30 têm memórias claras e marcantes da Mega Drive na sua infância. A presença da SEGA em Portugal nos anos 90 foi de tal maneira forte que, mesmo numa altura em que já se via a Playstation, Nintendo 64 e a própria Saturn a entrar em cena, a Mega Drive continuava a vender consolas e jogos, provando o seu estatuto de rainha em terras lusas.

Não retirando mérito nem valor às outras “empreitadas” da SEGA, mas a Mega Drive foi sem dúvida o seu momento de maior glória, aprendendo com os primeiros passos dados pela Master System e elevando ainda mais a fasquia. Este sistema teve revisões de hardware, add-ons, acessórios e, acima de tudo, uma biblioteca de jogos de fazer crescer água na boca de quase todos os fãs de videojogos, de tal maneira que foi a primeira vez que a Nintendo teve concorrência à altura, ficando mesmo na dúvida quem terá ganho a mais famosa das console wars.

Assim, não é de admirar que, hoje em dia, esta seja uma plataforma de eleição para muitos coleccionadores (especialmente portugueses) e que seja a primeira a que muitos se dedicam logo quando começam no mundo do coleccionismo. Esta enorme procura combinada com uma oferta decente em quantidade e com alguns casos particulares faz com que o panorama de coleccionismo de Mega Drive apresente algumas características particulares que tentarei desconstruir neste artigo.

Sega-Mega-Drive-Genesis-PAL-NTSC-Converter-006

SÓ EM PORTUGAL

 

Mega Game II – a Mega Game II foi uma versão da Mega Drive II autorizada pela SEGA para ser distribuída em Portugal pela Ecofilmes. A consola era em quase tudo idêntica à “original”, com diferenças no botão de power, nos comandos (na Mega Game II eram de 6 botões e de qualidade um pouco questionável) e no no region locking (há testemunhos de 3 situações diferentes: as “normais” que liam cartuchos Mega Drive como qualquer outra, as que não possuíam qualquer tipo de region lock e liam jogos europeus, americanos e japoneses e as que possuíam um switch para fazer a alternância entre regiões). Para além disso, a informação na caixa da consola vinha toda em Português e ainda anunciava o grande jogo desse ano: Dragon Ball Z (do qual falarei também de seguida).

01 - mega game II

Dragon Ball Z da Ecofilmes – mais ou menos na mesma altura em que a Mega Drive estava no auge da popularidade, havia uma série de TV que gozava de um estatuto semelhante ou até superior entre a pequenada: Dragon Ball. Apercebendo-se disto, a Ecofilmes, empresa responsável pela distribuição de material SEGA em Portugal, decidiu importar o jogo feito a partir desta série, que existia para Mega Drive no Japão. Como o jogo era japonês e o cartucho não dava para ler nas consolas europeias, foi adicionado um cartucho Mega Key III, que permitia jogá-lo sem problemas. A capa foi também alterada pela própria Ecofilmes, que decidiu utilizar a do filme em VHS que circulava por Portugal, criando assim um objecto único no panorama da Mega Drive que apenas pode ser visto no nosso país. Mais tarde, como o jogo foi localizado para França, passaram a importar essa versão com o subtítulo “L’Appel Du Destin”, poupando assim na inclusão dos Mega Keys e diminuindo um pouco a barreira linguística (se bem que, para as crianças que jogavam o jogo, Francês e Japonês iam dar ao mesmo…).

Era também comum em Portugal, graças à “inventividade” (chamemos-lhe assim) da Ecofilmes, encontrarem-se outros casos únicos, como jogos com cartuchos e manuais Genesis, ou seja, de versões americanas, a inclusão de manuais em português muitas vezes redigidos à máquina de escrever e fotocopiados e até outras peculiaridades, como a existência de uma versão da label do cartucho de borda azul do Streets of Rage II ou da capa com a barra lateral azul do jogo World Class Soccer, coisa que não era habitual.

02 - dragon ball z

OS JOGOS

CLÁSSICOS:

 

Sonic the Hedgehog – a eterna mascote da SEGA e um dos mais icónicos jogos da consola. A jogabilidade excelente e maniacamente rápida, a banda sonora e a pura diversão foram fortemente marcadas pelo ouriço nesta geração.

08 - sonic

Streets of Rage – um beat’em up que elevou a fasquia do género, competindo e, para muitos, superando Final Fight da rival SNES. De destacar a fenomenal banda sonora elaborada pela lenda Yuzo Koshiro.

03 - streets of rage II blue label

Golden Axe – mais um beat’em up que depois de fazer sucesso nas arcades, se juntou à fantástica biblioteca da Mega Drive. Apresentou alguns elementos pouco utilizados no género ou até mesmo únicos, como o uso de armas e a possibilidade de montar criaturas.

06 - golden axe

Revenge of Shinobi – um action platformer em que controlamos um ninja altamente treinado na sua especialidade que é confrontado com ambientes e adversários bastante desafiantes de ultrapassar.

07 - revenge of shinobi

Comix Zone – graficamente impressionante, jogabilidade espectacular e ambiente fantástico, era um sonho entrar na pele de Sketch Turner e percorrer as vinhetas de uma banda desenhada a despachar monstros desenhados por um super-vilão.

05 - comix zone

Outros exemplos de clássicos – Mortal Kombat, Vectorman, Gunstar Heroes, Rocket Knight Adventures, Aladdin, Castle of Illusion, Quackshot, Dynamite Headdy, World of Illusion, Flashback, Ecco the Dolphin, Desert Strike, Lion King, Toy Story, Micro Machines, TMNT Hyperstone Heist, Shining Force, Kid Chameleon, NBA Jam, Strider, Earthworm Jim, Street Fighter II Champion Edition, Eternal Champions.

JOGOS QUE VALEM ¼ DE RIM

 

Tetris – apesar da Nintendo deter os direitos sobre Tetris, a SEGA também tentou lançar uma versão. Por isso mesmo, a Nintendo forçou o cancelamento do lançamento, o que fez com que as raras cópias que escaparam sejam extremamente difíceis de encontrar.

13 - tetris

Megaman: The Wily Wars – o único título da série Mega Man a ter saído para a Mega Drive, é uma compilação de remakes dos 3 primeiros jogos da série. Apenas teve lançamento na Europa e no Japão e em números muito limitados, o que faz dele um dos jogos mais raros para a Mega Drive hoje em dia.

12 - mega man

Fatal Fury 2 (PAL) – aqui fala-se da versão PAL deste jogo, já que existe uma versão NTSC americana bastante mais comum. Esta saiu apenas na Austrália (que, por mais estranho que pareça, também pertence à região PAL).

11 - fatal fury 2

Daze Before Christmas – Mais um jogo exclusivo da região PAL e mais uma vez, julga-se, da Austrália também. É um jogo bastante genérico com o tema do Natal mas que pelo seu baixíssimo número de cópias lançadas acabou por ser mais uma raridade.

10 - daze before christmas

World Championship Soccer 2 (capa azul) – Apesar de o jogo ser relativamente comum na sua versão “normal”, esta com a capa com o tradicional “caixilho” azul dos jogos dos últimos anos da Mega Drive e uma imagem ligeiramente diferente apareceu estranhamente em alguns sítios (Portugal incluído). Mais uma vez, os seus números escassos foram determinantes para que seja hoje um jogo que raramente aparece.

14 - world championship soccer 2

Outros exemplos coleccionáveis – Gunstar Heroes, Alien Soldier, MUSHA, Bodycount, Time Killers, Castlevania The New Generation, TMNT Hyperstone Heist, Sparkster, Streets of Rage 3, Samurai Shodown, Soleil, Story of Thor, Ristar, Probotector, The Death and Return of Superman, The Punisher, Spider-Man Animated Series, , Shining in the Darkness, Shining Force I e II, Phantasy Star II, II e IV, Ranger X, Adventures of Batman and Robin, Aero the Acro-Bat 2, Zero the Kamikaze Squirrel.

EDIÇÕES LIMITADAS

 

Ecco The Dolphin Box Set – existiram duas box sets para os dois jogos de Ecco the Dolphin, ambas lançadas em números extremamente reduzidos e bastante raras hoje em dia. A do primeiro jogo continha uma t-shirt, uma cassete áudio, alguns cartões e panfletos e um pop up pequeno com uma imagem do Ecco, tudo isto inserido numa caixa de cartão grosso muito elegante.

16 - ecco

Maximum Carnage Box Set – estima-se que foram feitas apenas 5000 cópias desta edição e que, para piorar o cenário, eram vendidas num canal de televendas americano. Esta box set incluía, para além de uma caixa grande de cartão com um padrão único, o jogo, 3 pins e um livro de capa dura com os primeiros números do comic “Maximum Carnage”, no qual o jogo se inspirou.

17 - maximum carnage

Phantom 2049 Box Set – Mais um exclusivo australiano, muito provavelmente devido à grande popularidade que esta personagem tinha nesse país. Trazia, para além do jogo, um conjunto de autocolantes e um porta-chaves.

18 - phantom

Batman Forever Box Set – Para este jogo saíram duas box sets diferentes: mais uma vez, uma exclusiva da Austrália, que continha apenas o jogo com um poster, e uma exclusivamente vendida na cadeia de lojas Woolworths no Reino Unido, que incluía o jogo, um diário e uma VHS com o making of do jogo.

15 - batman forever box set

Primal Rage Box Set – mais uma edição muito limitada que incluía com o jogo um boné com o logótipo Primal Rage e um conjunto de trading cards sobre as personagens.

19 - primal rage

HIDDEN GEMS

 

Sub Terrania – um shmup com mecânicas bastante originais e interessantes, que acabam por adicionar alguma variedade e dificuldade ao jogo: a nossa nave é afectada pela gravidade, precisamos de recolher combustível para manter a nave funcional e os níveis são mapas abertos à exploração em qualquer direcção, em vez do tradicional scrolling vertical ou horizontal.

24 - subterrania

Ristar – um platformer que saiu já no fim de vida da consola e que, apesar de a SEGA ter esperanças de se tornar uma nova mascote da marca, acabou por passar despercebido. Contudo, é um jogo muito bem construído, com um grafismo muito colorido e uma mecânica em particular que lhe dá um twist especial (a personagem possui a capacidade de esticar os braços, agarrar objectos e/ou inimigos e projectar-se).

22 - ristar

Alisia Dragoon – um action adventure muitas vezes descurado, mas com elementos bastante interessantes que fogem um pouco do mesmo de sempre neste género, como o charge do ataque e a existência de pets que ajudam no combate.

20 - alisia dragoon

Mega Turrican – um run ‘n gun que também saiu para a SNES e que até teve uma sequela, mas não teve o reconhecimento merecido. As armas variadas, os níveis desafiantes e uma mecânica de grappling à la Bionic Commando dão uma variedade refrescante a um jogo deste género que tem poucos “parentes” na consola.

21 - mega turrican

Story of Thor – muitas vezes “acusado” de ser um Zelda clone (tal como Soleil), não deixa de ser um jogo muito bom, com excelentes gráficos e que contribui para enriquecer um género pouco representado na consola.

23 - story of thor

Outros exemplos de Hidden Gems: Adventures of Batman and Robin, Alien Soldier, Bio Hazard Battle, Gynoug, Steel Empire, Landstalker, Light Crusader, General Chaos, Mutant League Football, Mutant League Hockey, Shining in the Darkness, Herzog Zwei, Ranger X, Mazin Saga: Mutant Fighter, The Misadventures of Flink, Super Skidmarks, Tiny Toons ACME All-Stars, Dick Tracy, The Pirates of Dark Water.

COMPILAÇÕES – COMUNS, BARATOS, MUITOS E BONS

Mega Games 1 – primeiro conjunto de jogos que começou a ser bundled com a consola, incluía Super Hang On, World Cup Italia 90 e Columns num só cartucho.

27 - mega games

Mega Games 2 – A segunda iteração destas compilações para serem despachadas com as consolas é uma selecção de luxo: Golden Axe, Streets of Rage e Revenge of Shinobi.

28 - mega games 2

Sega Sports 1 – Uma compilação modesta mas que satisfazia os amantes de jogos de desporto com 3 modalidades diferentes: Ultimate Soccer, Wimbledon e Super Monaco GP.

sega-sports-1-game

The Disney Collection – Estes double features eram frequentes mas nenhum juntou a qualidade deste. É constituído por jogos licenciados pela Disney, Quackshot e Castle of Illusion, dois dos melhores jogos do género e até, para muitos, dos melhores da consola.

26 - disney collection

Sonic Compilation – uma pequena compilação do ouriço velocista que incluía Sonic the Hedgehog, Sonic the Hedgehog 2 e Dr. Robotnik’s Mean Bean Machine.

29 - sonic compilation

Classic Collection – A seguir ao Mega Games 2, a minha compilação preferida, pois era a única maneira acessível de ter e jogar o excelente e caríssimo Gunstar Heroes. Para além disso, ainda tínhamos mais 3 clássicos muito bons: Altered Beast, Alex Kid in the Enchanted Castle e Flicky.

25 - classic collection

CONSOLAS

 

Modelo 1 – o primeiro modelo é, para muitos, o mais acarinhado não só pelo aspecto mais “rude” e retro, mas também por, supostamente, dar melhor output de som. Possuía uma saída stereo e um regulador de volume, para além dos habituais botões de power e reset.

30 - mega drive

Modelo 2 – modelo mais compacto que, para além de cortar no tamanho, removeu também o controlo do volume e a saída stereo do primeiro modelo.

31 - mega drive 2

Modelo 3 – modelo produzido pela Majesco e distribuído apenas na América do Norte em 1998. Era ainda mais pequena do que o modelo 2, extremamente leve e incompatível com a Mega/Sega CD, 32X e o Master System Converter.

32 - genesis 3

Multi-Mega – peça de hardware curiosa que tinha a capacidade de ler cartuchos da Mega Drive, jogos da Mega CD e ainda servia de leitor de CDs portátil (se é que assim se pode chamar, pois possuía tamanho e peso consideráveis).

33 - multi-mega

Wondermega – muito semelhante à Multi-Mega em termos de capacidades, foi construída pela JVC e tinha algumas ligações áudio que não eram muito comuns, como jacks para microfones e output MIDI. Nunca chegou a sair na Europa.

34 - wondermega

Nomad – mais um exclusivo da América do Norte, basicamente era uma Mega Drive portátil, já que servia exactamente para colocar cartuchos dessa consola. Era possível ligá-la a uma TV, mas tinha vários problemas em comum com a antecessora Game Gear, nomeadamente o consumo elevado de pilhas.

35 - nomad

Autor: Miguel Coelho Pesquise todos os artigos por

9 Comments on "Coleccionismo de Mega Drive"

  1. Marco 5 March 2015 at 11:59 - Reply

    Bom artigo, que faz principalmente justiça à Ecofilmes, sem a qual a Sega nunca teria o sucesso que teve em Portugal, mas muito incompleto e com algumas falhas. 32x, Mega-cd entre muitos para já não falar no destaque a jogos como Death and Return of Superman e o Lakers vs Celtics.

    • Miguel Coelho 10 March 2015 at 15:41 - Reply

      Antes de mais, obrigado pelo comentário, Marco!
      Em relação à 32X e Mega CD, eu tinha incluído ambas inicialmente, no entanto acabei por retirar porque são quase sistemas com a sua identidade muito característica, com os seus próprios jogos, apesar de se tratarem de add-ons dependentes da Mega Drive e pareceu-me muito redutor incluí-los para apenas escrever 2 linhas sobre cada. Acho que merecem mais do que isso (principalmente a MCD), contudo os textos que criamos para a PUSHSTART também têm de ter alguns limites de tamanho, o que muitas vezes nos obriga a ter de resumir muito a informação.
      Quanto aos dois jogos que falas, o Death and Return of Superman, se reparares está mencionado na secção de “Outros jogos coleccionáveis” no tópico “Jogos que valem 1/4 de rim”; o Lakers vs Celtics, peço desculpa mas escapou-me mesmo, foi um lapso.

  2. Marco 12 March 2015 at 16:19 - Reply

    Boas Miguel, percebo perfeitamente o limite que estas publicações normalmente têm, e sim reparei que falaste no Death and Return of Superman, apenas achei que merecia um destaque maior. Em parte concordo contigo na análise que fazes às duas outras “consolas” Sega. No entanto quem as viveu intensamente não pode dissociar uma das outras. Podes ser fazer outra análise dessas consolas em separado.

    Mas como referi gostei mesmo do destaque à Ecofilmes, quem como eu viu o sucesso da Sega em Portugal, relativamente à Nintendo só pode lembrar-se do que a Ecofilmes fez. Desde manuais com capa a cores de jogos da Master System, desde aos móveis presentes em imensas lojas Sega, etc, etc…

  3. João 7 May 2015 at 20:23 - Reply

    O castlevania não é raro.. Existem cópias aos pontapés.

    • Miguel Coelho 7 May 2015 at 23:04 - Reply

      João, em nenhum lado do artigo se diz que o Castlevania é raro… Ele está incluído na secção “JOGOS QUE VALEM ¼ DE RIM” e dentro dessa ainda está nos “Outros exemplos coleccionáveis”.

  4. mauro 27 July 2015 at 13:38 - Reply

    alguem sabe me dizer se esse sega genesis mega rarissimo vale a pena comprar se o produto e bom ?

    • Miguel Coelho 28 July 2015 at 13:46 - Reply

      De que Sega Genesis “mega rarissimo” está a falar?

  5. Paulo 23 November 2016 at 23:28 - Reply

    Tenho dois jogos de sega mega drive

  6. Paulo 23 November 2016 at 23:30 - Reply

    Tenho o sonic compilation e tintin au tibet alguem sabe dizer quanto valem?

Deixe aqui o seu comentário