Habemus Machina #3

 

Sugestões com cheiro a salão de jogos!UltraXWeapons

Ultraman é daquelas séries televisivas icónicas do Japão, que como tantas outras coisas nipónicas explodiu por lá. E como não podia deixar de ser, há as óbvias conversões para o mundo dos videojogos! Na minha colecção pessoal há um cartucho de SNES ligado a esta série, que é também um dos piores jogos de toda a biblioteca da consola de 16bit da Nintendo… Foi por isso, e com grande surpresa, que dei com este Ultra X Weapons, também baseado em Ultraman. Este shmup/bullet hell é de facto um bom jogo, digno do rótulo de “possible only in japan” que a série também acarreta. Quer dizer, não é esplêndido, mas é suficientemente bom. Temos à escolha sete naves, cada uma com os seus apetrechos e com um ajudante diferente que, quando activado – é a arma especial – preenche o ecrã e leva tudo na frente. Estes ajudantes são na verdade os robôs que aparecem na série e, pelo menos a ligação, é fidedigna! Bem, é um jogo que pelo menos me faz esquecer que tenho aquele cartucho do Ultraman!

*

Toki

Toki é sem dúvida um dos brilhantes platformers da era dourada das arcades. Com elementos de shooter, já que Toki (ou JuJu como é conhecido no Japão) cospe bolas para atacar e eliminar os inimigos, a nossa tarefa é atravessar uma série de níveis para salvar Miho, raptada pelo malvado Vookimedlo. Toki, um homem tribalesco vestido à Tarzan, é ainda transformado num macaco, assim como toda a população da ilha, mas ao contrário dos outros habitantes, agora inimigos do nosso herói, este apercebe-se e toma controlo dos novos poderes para partir à aventura! Além desta façanha de “cuspidelas”, é possível eliminar também os inimigos saltando-lhes em cima, mas nem sempre é tarefa fácil. Toki é daqueles jogos em que se morre instantaneamente por qualquer coisa. Não há health points, e como se costuma dizer, é um “jogo à homem”! Há diversas conversões, sendo a de Mega Drive a que criou mais controvérsia por ser um jogo totalmente diferente. A melhor é provavelmente a de Commodore Amiga ou a da Atari ST.

*

UndercoverCops

Numa tentativa de “apanhar o comboio” dos beat ’em up’s modernos, a equipa da Irem criou um jogo sólido, futurista e bastante grotesco para a altura. E também difícil claro! Nesta aventura, passada em 2043 na cidade de Nova York, controlamos uma das três possíveis personagens que formam um novo grupo de combate ao crime. Apesar da excelente jogabilidade, parece que os inimigos têm sempre alguma na manga para nos cortarem os ataques, tranformando a nossa tarefa em quase impossível, principalmente quando o ecrã se enche de mauzões! Quanto à parte “gory”, logo no primeiro boss, na ponta direita do ecrã, há um compactador de carros que nos tira uma vida se lá caírmos. A boa notícia, é que se conseguirmos empurrar para lá o boss, é one hit kill directo! Um facto interessante, é que praticamente toda a equipa que participou neste projecto saiu mais tarde para formar a Nazca Corporation e lançarem cá para fora a série Metal Slug. Há também um port do jogo para a Super Nintendo (só no Japão, claro) e uma série de mangas inspiradas no jogo!

Autor: Victor Moreira Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário