Greedy Guns – Antevisão

Lembro-me de, na Comic Con de 2014, no Porto, se terem juntado vários membros da equipa da PUSHSTART, que adoptaram como “ponto de encontro” quase natural, o cantinho dedicado aos developers portugueses. Ali, encontravam-se vários “heróis” dessa empreitada que consiste em criar videojogos no nosso querido país. Entre eles, um grupo bem-disposto com um nome a fazer completa justiça a esse estado de espírito: Tio Atum. Quando nos aproximámos da bancada deles, fomos desde logo convidados a experimentar uma versão inicial do seu mais recente projecto, chamado Greedy Guns, de que vos venho falar hoje. Pois é, já foi há praticamente um ano e meio atrás. Pode parecer muito tempo para se desenvolver um jogo, mas, muitas vezes, a espera compensa e é mesmo necessária para se obter o melhor resultado possível.

Greedy_Guns_ (1)

Comecemos pela história e premissa do jogo: a empresa HOLOCORP dedica-se a fazer todo o lucro possível e, para tal, contrata uma equipa de mercenários (os Greedy Guns) para explorar planetas alienígenas, de maneira a angariar recursos, como artefactos ou DNA para as suas pesquisas. É aqui que entram os nossos heróis, sendo o nosso papel assumir a identidade de um destes mercenários e explorar os planetas desconhecidos, disparando contra tudo o que nos ameaçar, em troca de uma boa maquia.

Greedy_Guns_ (2)

A jogabilidade de Greedy Guns é muito simples e, simultaneamente, extremamente divertida e viciante, resultado da acção frenética imposta em grande parte do tempo. Aqui, as influências de clássicos dos videojogos são bastante óbvias e completamente assumidas pelos criadores, fazendo com que nomes como Metal Slug, Contra, Gunstar Heroes, Mega Man ou Metroid saltem logo à memória, quase inevitavelmente. No entanto, a boa notícia é que o pessoal da Tio Atum não se limitou, simplesmente, a fazer uma cópia, mas sim a criarem algo original, ao mesmo tempo que prestam homenagem a todos esses “antepassados”.

Apesar desta versão ainda não ser definitiva e de se tratar apenas de uma demo, já dá para constatar que o trabalho está bem encaminhado, não devendo existir muito que falte corrigir para chegarem a uma versão final (pelo menos assim o aparenta). As mecânicas de jogo estão bem polidas e, em ambas as opções de controlo que experimentei (rato + teclado e gamepad), os comandos respondem na perfeição, nunca me tendo sentido, em nenhuma situação, atraiçoado por eles. Na primeira opção, controlamos os movimentos do personagem com as tradicionais teclas WASD, usando o rato para apontar, disparar e rebolarmos no chão, a qual nos dá imunidade temporária aos nossos inimigos; no gamepad, são utilizados os dois sticks (o esquerdo para movimento e o direito para apontar a arma), com os triggers e shoulder buttons a ficarem reservados para as restantes acções, à boa moda dos shooters em consolas.

Greedy_Guns_ (5)

Nesta demo que nos foi oferecida (apesar de ser isso mesmo, uma demo), já deu para ver perfeitamente o grande potencial que Greedy Guns tem, tanto na variedade de jogabilidade, como na diversão que oferece. A fórmula ganhadora está no sucesso que tiveram em conseguir combinar aspectos de platforming, run ‘n gun e Metroidvania num só “bolo”, mantendo-o coeso e interessante durante toda a experiência. Um dos destaques tem de ir, igualmente, para a opção de co-op local (aquilo que, antigamente, antes do online ser o standard, se chamava simplesmente “senta-te aqui ao meu lado e joga comigo”). Se já em single player dá um gozo tremendo percorrer estes cenários a desbravar terreno, com um amigo deve ser, no mínimo, duplamente mais divertido!

Greedy_Guns_ (6)

Nos restantes parâmetros, continuo a ter apenas aspectos positivos para referir: gráficos engraçados e coloridos, acompanhados de boa composição sonora, exploração típica de Metroidvania bem implementada, tal como o sistema de upgrades de armas.

Greedy_Guns_ (3)

Se já antes tinha grandes esperanças deste título, esta demo deixa ainda mais água na boca para o que vem aí. Aconselho vivamente a experimentarem e, principalmente, a apoiarem a Tio Atum, contribuindo na campanha lançada no Kickstarter para o seu financiamento. O incentivo de ser um jogo feito inteiramente por portugueses não é o único; este merece mesmo!

Para apoiarem a Tio Atum e o seu Greedy Guns visitem a página da campanha do Kickstarter aqui!

Para mais informações:

Website: http://www.greedyguns.com

Campanha do Kickstarter: https://goo.gl/gcgzsd

Autor: Miguel Coelho Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário