Radar – Rui Murteira Gomes

Nesta edição do radar temos um coleccionador super-focado: um autêntico apaixonado por RPGs. Sejam bem-vindos ao mundo fantástico do Rui Murteira Gomes.

PUSHSTART (PS) – Como é que começaste a coleccionar?

RUI MURTEIRA GOMES (RMG) – Eu lembro-me que, em 2002, quando joguei o meu primeiro RPG, Final Fantasy IX, tive aquela sensação que “é isto mesmo que eu gosto”. Nunca tinha sentido anteriormente tal sensação com nenhum outro jogo, pelo que foi amor à primeira vista. Joguei todos os Final Fantasy disponíveis até então e pensei para mim: “Bem adorei esta série, mas será que existem outros grandes jogos e séries como este?”.
Comecei a ler mais sobre o género e sobre o que havia disponível para a PS1 e PS2, que eram as consolas que tinha na altura. Lia muito artigos da IGN e GameSpot americanas, tendo dado por mim a encontrar, ao acaso, um tal Dark Cloud 2 (Dark Chronicle) que tinha uma nota de 9.0 nesses sites. Fiquei muito curioso, fui ver vídeos e imagens existentes, fiquei com vontade de comprá-lo, acabando por o conseguir no extinto site nivel.pt, usado por 45 euros, isto em 2005. Daí para a frente, foi uma caçada frenética aos grandes RPGs e os denominados hidden gems.

PS – Que titulos achas que te influenciaram mais quando eras mais novo?

RMG – O primeiro jogo que joguei foi o Tetris, em 1994, no Brick Game, aquele que me recordo ter sido o que me despertou para o interesse dos videojogos. Metal Gear Solid foi, provavelmente, o nome mais forte daqueles que mais me influenciaram e mais gostei de experienciar. Possivelmente, foi esse jogo, que conta com uma grande história, que me fez interessar pelos RPGs, devido ao enredo e na forma como temos liberdade de fazer e ter escolhas que possam influenciar o curso da história. Outros dos quais me marcaram muito foram os platformers Spyro The Dragon, Crash Bandicoot 2 e Super Mario Bros.

PS – Costumas procurar activamente por artigos novos para a tua colecção?

RMG – Sim. Tenho uma wishlist com títulos todos escolhidos ao pormenor. Aqueles que realmente quero ter e todos os dias procuro de forma muito activa.

PS – Tens algum foco específico como coleccionador?

RMG – Como já tinha falado na primeira pergunta, o meu foco principal são os RPGs, pelas razões também já referidas. No entanto, também colecciono aqueles jogos de infância, que cresceram comigo, e até de outros géneros, os quais se encontrar a um bom preço, costumo aproveitar.

PS – Qual foi a tua maior “loucura” em termos de compras?

RMG – Bem, normalmente tenho um budget por mês definido para compras e, muitas vezes, há alguns jogos que estão a preços proibitivos e que me levam a cometer loucuras. Até agora, a maior que cometi foi a aquisição de Albert Odyssey: Legend of Eldean, para a Sega Saturn, que é exclusivo das Américas e que me ficou num preço total de 175 euros. Nada arrependido, pois é um jogo que anda a ser vendido no Ebay por volta dos 350 euros.

PS – Se pudesses voltar atrás no tempo para comprar um artigo na altura em que ele saiu, qual seria?

RMG – Suikoden II.

PS – Neste momento, qual o artigo que mais querias ter, mas ainda não conseguiste arranjar?

RMG – Ainda há uns anos andei à procura de Growlanser Generations Limited Edition, mas felizmente consegui arranjar. Neste momento, adorava ter Panzer Dragoon Saga, mas é muito complicado de conseguir comprar um, que não tenha quase de deixar de comer para poder comprar.

PS – Tens problemas “domésticos” por causa desta paixão ou a tua família compreende (ou até participa)?

RMG – Bem, o meu pai sempre foi o maior crítico por gastar dinheiro em jogos. A minha mãe sempre gostou de jogar, sendo que ainda o faz quando tem tempo livre e nunca me condenou nem me repreendeu. A minha avó sempre foi a pessoa que mais me ajudou a comprar jogos, oferecendo sempre algum nos meus anos e no Natal, porque já sabia que eu adorava.

PS – Que conselho darias a coleccionadores que estejam a começar agora ou que começaram há pouco tempo?

RMG – Acho que o principal conselho que lhes dava era para se focarem naquilo que realmente querem ter. Que não tenham medo de gastar dinheiro, se for mesmo aquilo que querem e gostam, mas há pessoas que se estão a aproveitar de nós, coleccionadores, para enriquecerem e, muitas vezes, “venderem gato por lebre”. Que perguntem sempre a alguém com mais experiência sobre o artigo e os preços praticados, porque isto deveria ser apenas um hobby. Todavia, está a tornar-se num negócio de má fé para o qual é preciso cuidado.

_____________________________________________________________________________________

Quem é?

Nome: Rui Murteira Gomes

Coleccionador desde: 2005

Sistema preferido: PS1 e GBA

Jogos preferidos: Wild Arms, Final Fantasy IX, Valkyrie Profile, Star Ocean: Till The End of Time

_____________________________________________________________________________________

Estatísticas

Número de jogos: 250

Número de sistemas: 10

Item mais valioso: Albert Odyssey Legend of Eldean (Sega Saturn)

A jóia: Growlanser Generations Limited Edition

Autor: Miguel Coelho Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário