Skullmonkeys

Skullmonkeys pertence à limitada categoria dos videojogos que não precisam de ser excepcionais para ficarem permanentemente na memória dos seus jogadores. Quase tudo o que podia correr mal, corre mal: os controlos são pouco precisos, as hit-boxes irregulares e os níveis repetitivos. Mas se o gameplay fracassa em quase todos os aspectos, os acessórios batem todos certos. O visual é em claymation (personagens e cenários são animadas como plasticina) e é por isso mesmo que Skullmonkeys fica para sempre com os seus jogadores, é imediatamente reconhecível. A qualidade da banda sonora original, obra de Terry Scott Taylor, é também desproporcionalmente elevada em relação ao videojogo que acompanha. A melhor maneira de experienciar Skullmonkeys é em doses baixas: só enquanto o jogo não tornar o vídeo cansativo.

Autor: Nuno Viegas Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário