Accolade

Ainda decorriam os anos 70, quando os dois fundadores da Accolade – Alan Miller e Bob Whitehead – começaram a trabalhar na Atari, empresa que pouco crédito dava aos seus programadores e artistas. Este facto conduziu ao descontentamento de muitos dos seus trabalhadores, no fim da década de 70 e início da de 80. Miller e Whitehead deixaram a Atari para fundar a primeira companhia de produção de videojogos independente, a Activision. Esta passagem da história dos videojogos é interessantíssima, no entanto exigiria um artigo dedicado, ficando, portanto, este conto para uma outra ocasião. Em 1983, dá-se aquilo a que se chama o segundo crash dos videojogos nos Estados Unidos da América. Outro evento que merece um artigo dedicado, no entanto gostaria de frisar que foi uma situação exclusiva do mercado norte-americano, não sendo, portanto, aplicável ao território europeu, asiático ou sul-americano. Este crash, causado pela fraca qualidade dos jogos e consequente descontentamento do público, levou ao início de mais uma etapa na vida de Miller e Whitehead. A inexistência de licenciamento na produção de software para computadores pessoais, associada ao baixo custo das disquetes, levou ao investimento neste formato. Nas palavras de Whitehead seria “perfeito para começar num período de austeridade”. Outro factor que levou ao abandono da Activision, por parte de dois dos seus co-fundadores, foi a ideia de estarem presos a um sistema, a Atari 2600. O potencial de computadores pessoais, como o C64, estava a anos-luz das possibilidades da então ultrapassada consola da Atari. Assim, em 1984, nasce a Accolade, empresa focada no desenvolvimento para computadores pessoais.

Pouquíssimo tempo depois da fundação da Accolade, Whitehead acaba por abandonar a indústria dos videojogos em definitivo. Miller persistiu e levou a empresa ao sucesso com alguns títulos, que se tornaram bastante populares. São exemplos, Law of the West (1985), um interessante jogo de aventura que é uma das primeiras tentativas de ter um sistema de moral, e Hardball! (1985), um simulador de basebol que se tornou numa série imensamente popular. Pouco tempo depois, o sucesso continuou com jogos, como Test Drive (1987) e Grand Prix Circuit (1987), dois simuladores automóveis que fizeram as delícias dos apreciadores do género. Test Drive veio mesmo a ser, juntamente com Hardball!, uma bandeira da empresa, gerando várias sequelas de sucesso.

Em 1992, é lançado o jogo mais aclamado pela crítica, Star Control II, um título de estratégia e aventura, que se tornou um marco no género de ficção científica, enquanto que, no mundo das consolas, surgiu o popular Bubsy. Mas, infelizmente, é também nesta época que tudo começa a correr mal. A vontade de entrar mais a sério no mercado europeu levou a Accolade a fazer vários investimentos mal sucedidos. A publicação de imensos jogos de terceiros foi igualmente outro grande problema. O foco deixou de ser o desenvolvimento interno para a publicação de produtos externos, muitos deles, de má ou medíocre qualidade, como Bubsy 3D (1996) e o incrivelmente terrífico Ballz (1994), mais infame pela sua versão na Mega Drive. Como tal, os investimentos feitos para uma possível expansão revelaram-se um fracasso.

Em 1991, a Accolade foi processada por violação de direitos autorais, por parte da SEGA, estando em questão o desenvolvimento não licenciado de videojogos para a Mega Drive. Inicialmente, em 1992, a SEGA ganhou o caso, obrigando a Accolade a retirar das prateleiras todos os seus produtos, contudo, no ano seguinte, a decisão viria a ser revogada, permitindo à Accolade publicar os seus jogos novamente. Para piorar a situação, em 1995, Alan Miller, o fundador, abandona o cargo. Sob nova gestão, tomou-se a decisão de abandonar grande parte do desenvolvimento e focar a empresa em jogos de desporto e acção.

Em 1997, foi lançado Test Drive 4, que apesar de não ser brilhante, teve a aceitação do público, tornando-se o título mais vendido da companhia, ultrapassando Bubsy. A Accolade ainda se conseguiu manter de pé até 1999, tempo suficiente para atrair o interesse da Infogrames, que por sua vez, tinha interesse em se expandir para o mercado norte-americano, tendo visto na Accolade o “cavalo de Tróia” que necessitava. Chegava assim ao fim mais uma empresa interessante, com ligações à génese da indústria dos videojogos e a algumas das suas figuras mais emblemáticas. Por ironia, a Infogrames viria a sofrer reestruturações, bem como uma renomeação para Atari SA, sendo esta, nos dias que correm, a detentora do património da Accolade.

 

LINHA DE TEMPO

1984 – A empresa é fundada por Alan Miller e Bob Whitehead.

1985 – É lançado Lawofthe West, um dos primeiros sucessos da companhia.

1985 – Hardball!  torna-se um sucesso, sendo convertido para imensos sistemas.

1987 – Test Drive é um marco no género, tornando-se um dos ícones da empresa.

1991 – A SEGA abre um processo contra a Accolade, por violação de direitos autorais.

1992 – Star Control 2 chega ao mercado e torna-se, até à data, o jogo da Accolade mais aclamado pela crítica.

1994 – Ao contrário da ideologia inicial, grande parte dos jogos passam a ser desenvolvidos por terceiros.

 

1995 – Miller deixa a Accolade, ficando esta sem nenhum dos seus fundadores.

 

1997 – Test Drive 4 é lançado, tornando-se o jogo mais vendido da empresa, ultrapassando Bubsy.

1999 – A Accolade é vendida à francesa Infogrames que, mais tarde, por ironia, viria a mudar o nome para Atari, SA.

 

 

 

Seis títulos a NÃO PERDER

 

The Law of the West (1985) – Uma das primeiras tentativas de construir um sistema de moral dentro de um videojogo.

 

Test Drive (1987) – Um dos jogos de corrida de referência dos anos 80 para os amantes de automóveis.

 

Bubsy (1993) O título mais conhecido da empresa no mercado das consolas caseiras, um jogo de plataformas bastante competente.

 

Star Control 2 (1992) – Um jogo de estratégia e aventura que é, muitas vezes, reconhecido como um dos melhores títulos de sempre para PC.

 

WinterChallenge (1991) – Uma excelente compilação de mini-jogos com o tema das Olimpíadas de Inverno.

 

Turrican (1990) – Provavelmente mais conhecido pela sua versão de Mega Drive, Turrican é um fantástico side-scroller carregado de acção.

Autor: Ivan Cordeiro Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário