Alien Isolation

Review 4×4

Review Principal

Uma verdadeira lição de suspense e tensão

Alien Isolation IMGSnisolation_banner

Antes de qualquer outra referência, há que começar pelo princípio… e sim Alien Isolation é seguramente melhor, mais consistente e sem sombra de dúvida um título bem mais fácil de recordar do que Alien Colonial Marines. Porém, e bem vistas coisas, tal não será assim tão de estranhar já que este era de facto mau a todos os níveis.

E como em quase tudo o que nos rodeia, às vezes é melhor mesmo parar e simplesmente recomeçar. Essa foi uma das primeiras e acertadas decisões da Creative Assembly quando decidiu pegar novamente na saga de Alien. Isolation é um voltar assumido às origens, de tal forma que pode ser visto como uma sequela aos acontecimentos vividos na obra-prima do suspense cinematográfico “Alien” (1979) de Ridley Scott.

A história arranca quinze anos depois dos eventos do filme, e o jogador veste a pele de Amanda Ripley, filha de Ellen Ripley, na demanda da procura de respostas sobre o que realmente aconteceu à sua mãe. Além de, ser claramente uma excelente aposta numa protagonista feminina (já ninguém quer saber de super soldados armados até aos dentes), é também particularmente bem pensado o facto de esta não ser uma mulher de armas, mas sim uma equipada com uma grande dose de inteligência, capacidade essa que vai ao longo do jogo, definir a nossa sobrevivência… ou não.

Alien Isolation IMGS (2)

Esta característica que foi dada à personagem principal, por mais “irrelevante” que possa parecer, é de facto o ponto de partida para toda a experiência de Alien Isolation. Isto porque não só define o desenvolvimento da narrativa, como adensa (e muito) o ambiente de suspense, como acaba por nos colocar – a nós jogadores – numa luta desigual com uma criatura mais forte e para a qual existem poucas armas para a combater.

E as ambiências em Alien Isolation são absolutamente magistrais. Não diria tanto até de terror, porque não me parece que o jogo chegue a alcançar esse género em pleno (apesar de ter alguns bons momentos), mas sim de um perfeito estado de tensão pura em que coloca o jogador, praticamente desde início. Obviamente que para isso a história ajuda, já que rapidamente nos vemos sozinhos, numa estação espacial aparentemente abandonada e em ruínas, sem armas e com muitos puzzles para resolver. Os visuais complementam imenso neste departamento e este é um título que realmente marca um ponto de viragem ao nível dos grafismos, principalmente nas atmosferas criadas, nas partículas que nos rodeiam em cada espaço e no mais espectacular efeito de fogo que alguma vez vi num videojogo. Todo o jogo tem um visual futurista, mas ao mesmo tempo retro, com algumas pérolas menos contemporâneas, como os computadores e outros objectos (conhecidas para quem viu o filme), o que resulta numa fusão perfeita de décadas.

Alien Isolation IMGS (2)

Como se já não bastasse o facto de estar sozinha, sem qualquer tipo de armamento e apenas munida de alguns artefactos que vamos podendo ir encontrando enquanto investigamos a estação espacial, sabemos de antemão que mais tarde ou mais cedo, nos vamos encontrar com essa temível criatura que dá nome ao jogo. Alien de fofinho não tem nada, é aliás demasiado húmido e viscoso para tal, sendo que só o facto de pensarmos que o vamos ter que confrontar sem uma grande metralhadora nas mãos, deixa qualquer um a suar e a mim particularmente, a pensar na minha vida… E sim, este é um título com grande enfoque nas nossas capacidades stealth, já que de outra forma e frente-a-frente, teremos poucas probabilidades de sobreviver.

Alien Isolation é mais uma vez brilhante na condição em que foge à regra dos habituais FPS, típicos por percursos lineares e armas potentes para o que der e vier. Estamos perante um shooter inteligente, que vive para o suspense. A primeira meia hora de jogo é essencialmente para nos tentarmos orientar na jogabilidade e nos espaços que nos rodeiam. Mas mesmo depois desta “introdução”, grande parte do jogo passa por resolvermos pequenos quebra-cabeças, investigarmos ao mais ínfimo pormenor todas as salas, na tentativa de encontrarmos matéria-prima para criarmos itens específicos como medikits, sensores, armas de distracção, etc.

Alien Isolation IMGS

O problema é que para uma jogabilidade que ronda as 15/16h (bastante maior do que é habitual) e para a qual a progressão é (notoriamente) demorada, rapidamente se instala uma certa sensação de repetição, que obriga por vezes o jogador a percorrer mais do que uma vez o mesmo cenário, para cumprir determinado objectivo, o que acaba por se revelar demasiado desgastante. O mesmo se passa com os desafios que temos que ultrapassar, já que a partir de certa altura se tornam recorrentes e esperados. Além de Alien, que é claramente o que anima este jogo, foram também criados uns “Androids”, com umas máximas na sua programação um tanto para o estranhas, que além de partilharem o papel de antagonistas, não têm grande utilidade, ou caracterização.

Por outro lado, não deixei de sentir desilusão quando me vi obrigado a recorrer a pistolas, caçadeiras, lança-chamas, entre muitos outros recursos, em lutas directas, depois de uma primeira parte tão bem pensada e consequentemente executada. Também nestes confrontos directos não deixa de existir uma certa frustração nas mortes – que apesar de diversificadas, graças a uma IA bem implementada e que faz com que Alien não tenha um comportamento previsível ou repetitivo – nalgumas situações o jogador nem chegue a perceber como é que foi morto.

Alien Isolation IMGS

De volta aos pormenores positivos, temos o sistema de checkpoints que se traduz num telefone numa parede em locais pré-definidos e para o qual é necessário reservarmos alguns segundos para o processo. Isto acontece por acaso? Claro que não! Demorar um determinado tempo no local que normalmente representa o porto de abrigo para a maioria dos jogos é além de uma inovação, uma ideia muito bem pensada que ajuda à trama e engrandece (bastante mesmo) toda a tensão à volta de Alien Isolation.

Para complementar tudo isto, a componente sonora que é, novamente, empregue de forma magistral, e com as sonoridades adequadas para cada contexto. De tal forma que acaba mesmo, a meu ver, por quase representar uma personagem independente, um pouco à imagem do que acontece com estação espacial – Sevastopol – com a sua caracterização tão peculiar e acertada. Por outro lado, a interpretação dos actores para as vozes não me encheu, de todo, as medidas, contudo, não nos oferece uma protagonista muda, à imagem do que acontece com Call Of Duty ou até Battlefield.

Alien Isolation é assim, para mim, sem qualquer receio, um dos melhores títulos da saga Alien. Não vai agradar a todos, é certo, mas também não é para todos. Para os fãs do filme original este título vai ser um diamante por descobrir, com muitas ideias inovadoras, principalmente ao nível do gameplay, que ironicamente acaba também por ser o seu principal calcanhar de Aquiles. Não o considero igualmente um jogo de terror, mas sim um dos mais angustiantes exercícios de tensão, já que Alien Isolation é tensão no seu estado mais puro. Ao contrário do seu antecessor… e mesmo com algumas escorregadelas lá pelo meio, este é um daqueles títulos para o qual só me apetece gritar ao mundo “Alien Isolation é absolutamente obrigatório!”.

 

up
 Veredicto                                                  
Um regresso brilhante, com enfâse nas skills de sobrevivência, às origens de Alien e um – finalmente à altura – renascer desta saga no universo dos videojogos.
 Plataforma        
 PC
 Produtora         
 Creative Assembly

 

 

Visto por: Silvia Farinha

 

Se há coisa que não sou, é fã de jogos de terror. Se há jogo que me converteu para o lado negro, foi Alien Isolation. Dei por mim desejando chegar a casa para passar mais umas horas em frente ao PC, com suores frios e mania da perseguição, sempre a olhar por cima do ombro. Para fãs do filme e não só, este jogo atinge totalmente tudo aquilo que prometeu. Todo o ambiente e mesmo os gráficos remetem para o filme. Mas o que realmente faz os calafrios aparecerem é a música. É realmente uma das bandas melhores bandas sonoras e que afecta a forma como jogamos. Sem dúvida um dos candidatos a jogo do ano dentro do seu género.

 
Visto por: João Canelo

 

Ainda tenho as palmas das mãos suadas e o coração a doer, mas Alien Isolation conseguiu proporcionar-me uma das melhores experiências deste ano. A mistura entre ficção científica e horror nunca foi tão cimentada e respeitada como em Isolation, e a Creative Assembly conseguiu o que já parecia ser impossível: um excelente jogo baseado na série Alien. Ainda que não seja perfeito, é um dos melhores jogos deste ano.

 
Visto por: Ivan Cordeiro

 

Este é o jogo que os fãs da série Alien esperavam há imenso tempo. Finalmente alguém conseguiu perceber aquilo que a série representa, o seu ambiente, o seu mundo e aquilo que é realmente o monstro criado por H.R Giger. Em vez de tiros intermináveis contra hordas infinitas destes monstros, que acabam por ser redundantes e díspares daquilo que os filmes representam, aqui temos um monstro que realmente tememos e respeitamos. Um jogo muito bem conseguido, com uns gráficos fantásticos e uma banda sonora que até faz lembrar os anos 80. Se gostam da série, lancem-se de cabeça neste incrível mundo sci-fi que vos dará uma das melhores experiências no género survival horror dos últimos tempos.

 

 

Autor: Andre Santos Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário