Axiom Verge

O meu jogo favorito na minha Wii U!

banner_2

Há muitos anos, quase noutra vida, um colega meu emprestou-me um jogo de Game Boy, que ele tinha comprado por “ter uma capa fixe”, mas com o qual reconhecia estar desapontado. Afinal, aquele jogo era “uma seca”. O seu nome era Metroid II: Return of Samus.

Os primeiros jogos Metroid sempre foram um tanto diferentes. Ao invés de disparar e matar tudo o que mexe, estes títulos privilegiavam a exploração, incentivando o jogador a andar constantemente para frente e para trás. Obviamente, este tipo de conceito não é do agrado de todos. Lembro-me de, quando lhe devolvi o cartucho, lhe ter explicado no que afinal consistia o jogo, elogiando o que tinha descoberto, mas, mesmo assim, não ficou convencido, a tal ponto que, meses depois, acabaria mesmo por o trocar pelo Nintendo World Cup.

wiiuds_axiomverge_02_image912w

Uns anos mais tarde, a Konami apresentaria um título que levava o mesmo conceito de exploração Metroid a um novo patamar. Esse jogo era Castlevania: Symphony of the Night, nome que ficaria, a partir desse momento, associado a uma nova classificação de todos os videojogos que gratificam a exploração constante – Metroidvania.

wiiuds_axiomverge_06_mediaplayer_large

Ora bem, serve isto tudo para apresentar o novo Metroidvania, disponível para a Wii U, desenvolvido pela Thomas Happ Games, e com o bonito nome Axiom Verge. Um título claramente inspirado nos primeiros Metroid, com o mesmo tipo de ambiente, onde somos acompanhados por uma belíssima banda sonora e, visualmente, tudo parece um sonho molhado do artista H. R. Giger – especialmente aqueles trabalhos desenvolvidos para a saga Alien.

wiiuds_axiomverge_03_mediaplayer_large

Até ao momento, tenho cerca de uma dezena de horas no universo de Axiom Verge, que, para este tipo de jogo, é realmente pouco. No entanto, é notável toda a sua complexidade. O próprio menu faz questão de me lembrar que ainda só tenho 37% do mapa descoberto e ainda menos percentagem de itens. Ainda falta muito. Mesmo muito. E eu gosto. Bosses gigantescos, pixel art fantástica, exploração de recantos, tiros, experimentações, saltos, mais tiros, mais explorações, mais bosses gigantescos. Pum, Pum, Bang, Bang! E tudo isto ao som daquela banda-sonora magistral. Perfeito!

wiiuds_axiomverge_04_image912w

Naturalmente, existe algo que tenho igualmente de mencionar: a conversão para Wii U. Afinal, era expectável que utilizasse algumas particularidades da consola, ou do comando e…bem, estão lá, mas, tal como muitos outros jogos, não são nada de especial. Talvez a maior utilidade esteja no segundo ecrã, que pode ser usado para ver o mapa, o que, neste caso, dá imenso jeito. O resto das funcionalidades são as banalidades do costume – algumas interactividades no menu e pouco mais. Apesar de nada disso prejudicar o jogo, ainda aguardo pelo título que tire realmente potencial do comando. É que, tirando algumas excepções, como o Zombie U da Ubisoft, pouco ou nada tem sido explorado. Enfim…

wiiuds_axiomverge_05_image912w

Axiom Verge está disponível na Nintendo e-Shop por 14,99€. Não será um título que agradará a todos – talvez alguns até o considerem secante – mas eu acho-o estupidamente bem concebido. É, neste momento, o meu título favorito na Wii U e é, repito, na minha opinião, o jogo perfeito (especialmente se também forem fãs de Metroidvania).

up
Veredicto
Um dos melhores jogos na biblioteca da Wii U. Perfeito para fãs de Metroidvania.
Plataforma
Wii U
Produtora
Thomas Happ Games
Autor: Ivan Flow Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário