Badland

Aqui está uma das provas para acabar com o preconceito de que os jogos mobile não prestam. Badland não só teve origem nos iPads, como ganhou por lá diversos prémios, chegando agora à Wii U na sua melhor forma.

badland1

E o que é Badland? Imaginem um bicharoco, que é uma mistura entre morcego, mosquito e Gremlin, o qual tentaremos controlar o voo meio descontrolado de uma, ou por vezes muitas, dessas criaturas, por entre cenários que parecem pistas de obstáculos naturais. Há aqui qualquer coisa do legado de Flappy Bird, no modo como cada toque faz o bicharoco bater as asas e elevar-se, ainda que o jogo não se limite a isso, diversificando-se com power-ups interessantes (multiplicar, aumentar e diminuir de tamanho, ficar pegajoso, etc…) e uma boa quantidade de níveis curtos mas intensos.

badland2

Parecemos estar sempre numa corrida contra o tempo, ou melhor, contra a extremidade esquerda do ecrã, visto que a principal razão para perder um nível será ser apanhado pela temível extremidade. Este é o único defeito que lhe ponho, porém é algo que até os New Super Mario Bros fazem errado. Não que seja muito importante em termos de jogabilidade, mas dar uma razão para fugirmos da extremidade do ecrã é melhor que não dar razão nenhuma. Vários jogos fazem-no de forma simples, mas eficaz, através dum inimigo perseguidor que aparece no lado esquerdo, algo que aqui, também poderia facilmente acontecer.

badland4

O seu ambiente visual e sonoro é bastante forte, notando-se influências de Limbo, contudo, apesar dos cenários serem um pouco repetitivos, mostram um trabalho de cor e luz que, por si só, iluminam todo o jogo destacando-se das silhuetas de primeiro plano. Também de Limbo se retira a ideia de armadilhas na forma de ramos que se quebram ou de engrenagens perigosas. Mas, se em Limbo a solução é pensar calmamente no assunto, como um Professor Layton, aqui é ser veloz como o Sonic.

badland5

Se quando joguei (de forma breve) a sua versão móvel, Badland não me disse nada demais, desta vez fiquei quase imediatamente agarrado ao comando! Se calhar, o facto de ter um comando para o jogar é mesmo uma das razões para ter apreciado muito mais a experiência agora, visto que permite uma sensação de controlo muito mais preciso!

badland7

Para ajudar à festa, Badland conta ainda com um modo multiplayer local, bem como achievements, e agora que já vos mostrei como é um jogo realmente bom… vou só ali jogar mais um nível (pois, como se fosse só um)!

up
Veredicto
Um jogo que tem tanto de bom, como de viciante… e que ainda assim parece melhorar, quando se utiliza o comando!
Plataforma
Wii U
Produtora
Frogman
Autor: Joao Sousa Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário