Paper Monsters Recut

Uma alegra aventura feita de papel

600x150

Foi seguramente há mais de um ano que, numa busca desenfreada por bons jogos para dispositivos móveis, dei de caras com a união perfeita entre o mundo de Mario e de Sackboy. Foi o primeiro pensamento que me surgiu desde logo, ao ver uma aventura engraçada, inovadora, e do melhor que um jogo mobile poderia oferecer. Não me surpreende de todo que Paper Monsters tenha conseguido dar o salto para plataformas mais vastas, e coube-me revisitar o seu mundo feito de papel na versão da Wii U.

2

Acredito que toda a gente que não tenha tido a mesma experiência que eu se venha a sentir deveras confortável com a experiência deste novo Paper Monsters Recut. É através do grafismo, todo ele desenhado de maneira a simular personagens, níveis e monstros em papel, que este título mais nos cativa. Faz parte daquela série de jogos que chamamos de… “simpáticos”, dada a sua simplicidade e facilidade com que nos puxa e nos transforma. Por outro lado, o desafio é pouco, e este só aumenta nos níveis mais avançados e maioritariamente por causa dos colecionáveis escondidos.

8

A comparação com os mundos de Mario Bros. e Little Big Planet é, como mencionado anteriormente, inevitável. Por um lado, temos botões em vez de moedas, controlos de “turbo” para saltar mais longe, e os monstros morrem quando lhe saltamos em cima. Por outro, e bem menos evidente (e que até pode só ocorrer em mim) a comparação ao Little Big Planet deve-se muito ao design diferente que é dado a um jogo de plataformas, evidenciando as texturas e todos os detalhes a parecer-nos algo bem mais “fofinho” e delicioso que os demais.

7

Há algo que este jogo também faz e muito bem, e que só tinha visto até ao momento nos novos jogos de Donkey Kong. Há certos níveis que continuam no background, como se se tratasse de uma extensão do nível, e as comparações já tinham acabado, mas os criadores decidiram que a passagem para estes níveis “mais lá ao fundo” se processariam através de canos, que são, pelo menos, roxos. É também através deste método que muitas vezes vamos encontrar coleccionáveis. Apesar de se tratar de um platformer em 2D, o que mais vemos são modelos em 3D, ou no mínimo 2.5D, dando a entender que Paper Monsters Recut consegue impor uma posição dentro de um género sobrecarregado, tirando vários dos melhores aspectos de vários jogos e várias gerações.

3

Fiquei, e fico contente, pelo facto de certas pérolas se conseguirem mostrar através de plataformas mais fechadas, já que este, como tantos outros, merecia dar o salto e ser jogado no grande ecrã. Vale a pena no entanto, frisar que se trata de um jogo feito com muito coração, e que nos cativa pelo seu aspecto incrível, mas não é aconselhável a quem procura algo ao estilo de Rayman, Donkey Kong ou outro jogo de plataformas mais complexo. Simpático é a melhor forma de o descrever, e é inteiramente fácil. O divertimento retira-se a cada pedaço de jogo mesmo assim, caso este seja o vosso planeta.

up
 Veredicto                                                        
Vale a pena jogar e deixarmo-nos levar como folhas de papel, tendo em conta no entanto, o baixo nível de desafio apresentado.
 Plataforma        
 Wii U
 Produtora         
 Mobot Studios
Autor: Victor Moreira Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário