Save the Puppies

8
Longevidade : 8/10
Jogabilidade : 7/10
Gráficos : 9/10
Som : 6/10

Caminhar sobre o próprio corpo | Continua a ser fascinante!

As teclas no ecrã nunca são a melhor forma de controlar um jogo destes

Ora cá está um jogo free para Android e iOS com um aspecto bem “cute” mas que faz puxar pela cabeça e tem algumas ideias interessantes. Na introdução de Save the Puppies somos contextualizados no enredo sabendo que todos os cachorrinhos da zona foram apanhados por bandidos (ou pelo canil municipal). A nossa função, na pele de “cão herói”, é salvá-los.

A história puco importa neste jogo visto que nem sequer faz muito sentido. Por que razão raptam os cães apenas para os deixar dentro de jaulas espalhadas pelas ruas? Não faria mais sentido levá-los para um canil? Mas pronto, esquecendo esse facto, o jogo gira precisamente à volta de percorrermos cenários divididos em grelhas de quadradinhos de forma a tocarmos nas jaulas e soltarmos os indefesos cachorrinhos. É um jogo com uma premissa bastante inocente e acessível a toda a família mas suficientemente desafiante para manter o interesse do jogador mais empenhado.

O nosso “cão salsicha” movimenta-se a partir de três setas direccionais disponíveis no ecrã, não me parecendo um controle perfeito, pois por vezes os dedos fogem do sítio certo, mas provavelmente terá sido pensado dessa forma para permitir movimentos mais precisos, pois cada passo dado deverá ser bem calculado e pensado. Porquê? Porque nos movimentamos numa grelha quadrada, o cão apenas consegue dar uma volta completa se tiver um espaço de quatro quadrados para circular… daqui vem o elemento puzzle do jogo: como aceder aos cãezinhos espalhados pelos caminhos estreitos e atolados de obstáculos? Mas a melhor parte é um único pormenor.

Em alguns níveis existem salsichas e se as comermos o “cão salsicha” vai-se tornando cada vez mais comprido, o que por um lado torna a navegação ainda mais complicada mas por outro permite que, subindo a um nível mais elevado, seja possível caminhar sobre o seu próprio corpo como se fosse uma ponte e isso será necessário para atravessar certas zonas. É bastante absurdo mas verdadeiramente divertido.

Os gráficos e animações são bastante bons, se bem que podem desencorajar alguns “jogadores mais rebeldes” para instalar algo tão “fofinho”. Os 100 níveis disponíveis são mais que suficientes para distrair durante bastante tempo. Recomendo completamente!

Autor: Joao Sousa Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário