Sin and Punishment: Sucessor of the Skies

Há muita vida e muito tiro neste jogo!

banner

Permitam-me, antes de mais, deixar o aviso que sou um grande fã de rail shooters (ou “shooter on the rails”). É preferível não traduzir, não vão achar que há um tiroteio na Carris. Este estilo de jogo, com sucesso natural mais vincado nas máquinas dos salões de jogos, faz de facto jus à boa utilização do wiimote para certos casos, e certos jogos. Não é por acaso que na biblioteca da Wii abundam jogos com estas características, desde ports directos de jogos arcade, como o Ghost Squad, passando por clássicos reavivados – House of the Dead: Overkill – até novas maneiras de jogar capítulos de verdadeiros ícones do passado, como o Resident Evil: The Umbrella Chronicles. Este Sucessor of the Skies faz parte do lote de jogos Wii que agora estão disponíveis através da eShop da Wii U, devidamente selecionados por valerem a pena ser jogados. E este não só vale a pena, como é quase obrigatório.

1

Apesar da possibilidade de jogar com o gamepad da Wii U, o que até é bom para quem tenha a consola e não possua wiimotes, faz muito mais sentido pegar nos comandos da Wii ou na Wii Zapper, se tiverem uma em vossa posse. E foi precisamente o que eu fiz. Para quem não conhece bem, este tipo de jogo prossegue a história pelos cenários/níveis de forma automática, cabendo a nós, especificamente neste título, não só disparar como um maluco a tudo o que aparece à frente, como também usar o famoso dodge para fugir dos ataques inimigos. Os controlos estão tão bem programados para a utilização da Zapper que acabamos por ter uma experiência deliciosa e intuitiva, ainda para mais sendo este um jogo desafiante e difícil, era importante que houvesse maneira de sermos ágeis e perentórios na tomada de decisões. O gamepad da Wii U acaba por falhar neste ponto, já que temos que arrastar a mira com o joystick, perdendo tempo valioso. Diga-se de passagem, qualquer rail shooter não é uma experiência total se não for jogado com uma arma virtual.

3

Mas vamos ao jogo. Successor of The Skies é a sequela do primeiro Sin and Punishment, que saiu na Nintendo 64, e que infelizmente, só saiu no Japão. Porém, pôde ser apreciado mais tarde através da Virtual Console da Wii. Neste novo título controlamos Isa ou Kachi, ou ambos se estivermos a jogar em modo cooperativo e o nosso objectivo (além de disparar sobre tudo o que se mexe) é basicamente sobreviver… A história, apesar de existir, acaba por cair em segundo plano, dada a experiência frenética e variada que vamos viver. De início parece-nos até ser algo completamente sem sentido, e acabamos por perceber apenas que há um lado bom, um lado mau, uma suposta invasão e depois é só tiroteios desenfreados. E na verdade, é o que importa neste jogo.

4

Ao contrário de muitos títulos que fazem uso destas características, Successor of the Skies convida-nos a querer fugir para dentro do vasto mundo onde não podemos caminhar. Uma sublime transformação do primeiro para o segundo nível, onde passamos de uma nave fechada para uma cidade gigante e cheia de criaturas, mostra-nos um detalhe fantástico, ao mesmo tempo que nos sentimos a jogar um shmup que não tem paragem nem sossego. Os inimigos dentro deste universo são também sempre diferentes e variam entre criaturas animalescas, robôs e humanos. Além disto, há também bosses que não são fáceis de esquecer e que, à boa maneira japonesa, nos fazem sentir pequeninos dentro do ecrã de jogo.

5

Outra particularidade interessante é o jetpack de que dispomos que nos permite não só andar no solo, mas também percorrer todo o ecrã pelo ar. Mais uma vez, comparando este à maior parte dos rail shooters, marca a diferença por não termos uma visão na primeira pessoa mas sim na terceira, à imagem do que fora em tempos Space Harrier, por exemplo. E com esta adição à liberdade de movimentos, a Treasure dá-nos uma experiência para sempre recordar. A acção frenética tem a sua explicação: esta empresa lançou em tempos alguns dos melhores (e, hoje em dia, mais cobiçados) shmups de sempre. Quem gosta do tipo de jogo, certamente conhece Bangai-O, Ikaruga ou Radiant Silvergun. Não é portanto de admirar que Sin and Punishment: Sucessor of the Skies seja também um misto de outros estilos de jogo, tudo para criar um título desafiante, memorável e com um replay value bastante alto, devido ao seu estilo arcade. É possível também atacar corpo a corpo mas quase nos esquecemos que esta funcionalidade existe. Além de alguns bosses que temos mesmo de matar utilizando o botão designado para tal, no resto do jogo queremos é gastar balas!

8

Para finalizar, resta-me apenas vincar o que já disse no início do texto. Sucessor of the Skies é sem dúvida dos melhores jogos disponíveis na Wii. Uma consola que está tão cheia de jogos banais e títulos desinteressantes – o chamado shovelware – tem sem dúvida umas quantas surpresas para nos fazer querer que não é uma biblioteca má de todo. Apesar das escavações necessárias, os rail shooters são um bom tesouro que pode ter passado ao lado de muita gente e este jogo é simplesmente o melhor deles todos.

up
Veredicto
Dentro do género, este é provavelmente o melhor e mais nipónico que vão jogar. Divertido, variado, explosivo!
Plataforma
Wii
Produtora
Treasure
Autor: Victor Moreira Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário