Stupid Zombies 2

9
Longevidade : 9/10
Jogabilidade : 10/10
Gráficos : 10/10
Som : 7/10

Bons gráficos | Jogabilidade perfeita | Muitos níveis

Pouca variedade em termos de cenários

Pois bem, ao contrário da maioria dos jogos em que enfrentamos zombies com doses generosas de munições, aqui as coisas são muito mais racionadas, sendo que na maior parte dos níveis não temos sequer uma bala disponível para matar (novamente) cada zombie. Dessa forma como é possível avançar pelos 3 “mundos” propostos? Utilizando paredes, caixas e plataformas como superfícies para que as balas disparadas façam tabelas e atinjam diversos alvos.

Desengane-se quem espera um jogo arcade de acção frenética, este é um puzzle que nos permite todo o tempo e ponderação para avançar em cada ecrã, devastando os indefesos zombies. Sim, indefesos zombies que nem sequer nos tentam atacar (Se calhar são almas penadas vegetarianas…). É impossível morrer neste jogo, se gastarmos todas as balas apenas temos que recomeçar os níveis recarregando a nossa arma. Muitas vezes necessitaremos de inúmeras tentativas de forma a descobrir como eliminar todos os zombies no ecrã com o melhor número de balas possível. Como é frequente nos novos puzzle games dos tablets a nossa performance é avaliada de uma a três estrelas conforme o número de disparos efectuados, mas conseguir todas as estrelas do jogo estará ao alcance apenas dos mais hábeis e pacientes.

O jogo encontra-se dividido em 3 cenários; laboratório, cidade e floresta, cada um dos quais com 100 níveis. Poderia haver mais variedade de ambientes mas a verdade é que servem apenas como pano de fundo, não interferindo na jogabilidade. O desafio não se torna monótono pois vão sendo introduzidas algumas novidades, seja em forma de monstros novos ou de armas. No que toca a inimigos, temos desde zombies, que não se mexem, a outros que caminham lentamente ou trepam paredes e ainda zombies bombeiros (à prova de fogo), cientistas, lenhadores de motosserra e morcegos. No departamento de armas usamos quase sempre a tradicional caçadeira, mas de vez em quando temos acesso a um arco com setas flamejantes (que podem ser também usadas para incendiar fardos de palha e daí carbonizar os zombies). A mais inesperada será uma “bala” que, quando atinge a parede, revela outra arma que permitirá fazer tabelas para ângulos de outra forma inacessíveis ao jogador.

Depois de quatro ou cinco tabelas as balas acabam por se desfazer, por isso todos os tiros deverão ser cuidadosamente apontados e planeados, seja para atingir nos zombies ou caixas, correntes e rodas que os atingirão de uma forma gore bastante divertida.  Existem até alguns níveis com inspiração no jogo Portal em que as balas são teletransportadas de uma localização para outra. Por fim podemos ainda lançar um ataque aéreo de mísseis, para o caso de estar bloqueados num nível, eliminando todos os zombies duma só vez e conseguindo 1 estrela. Além desse” golpe” tirar qualquer tipo de desafio, pode ser usado apenas uma vez gratuitamente, sendo que para utilizar mais terão de comprar mais artilharia.

Este é sem dúvida um dos jogos que mais me viciou para Android e tem conteúdo suficiente para entreter muitas horas. Após finalizar o jogo, experimentem jogar bilhar livre no café contra os velhotes e verão que fazer tabelas já não será o mesmo mistério. Se tivesse oportunidade, sugeriria aos autores uma versão “hard” do jogo, em que tivéssemos que ter cuidado para não ser atingidos pelas próprias balas, o que tornaria a tarefa muito mais desafiante, mas não pensem que mesmo tal como está o desafio seja pêra doce. 

Autor: Joao Sousa Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário