Super Mario 64

10
Longevidade : 10/10
Jogabilidade : 10/10
Gráficos : 10/10
Som : 10/10

Review 4×4

Review Principal

Existem poucos jogos que conseguem persistir ao teste do tempo. Super Mario 64 é um desses jogos. A par do The Legend of Zelda : Ocarina of Time, será talvez o jogo que melhor conseguiu fazer a transposição dos jogos 2D para os jogos 3D.

Estávamos ainda em 1996, altura em que as produtoras de jogos eram quase caseiras, quando comparadas com as produtoras da actualidade e suas respectivas dimensões. Super Mario 64 foi um dos primeiros títulos a ser desenvolvido para a Nintendo 64 e o primeiro a três dimensões que a equipa de Mario fez. E a incursão nesta nova abordagem não poderia ter sido melhor.

Recuperando toda a ambiência dum típico jogo de Mario, resgatando universos de mil cores, personagens inesquecíveis e paisagens verdejantes de reinos longínquos, este é um jogo que soube preservar o legado dos jogos anteriores e, ao mesmo tempo, acrescentar-lhe algo dinâmico e inesquecível.

A grande diferença neste título em relação aos anteriores consistia na forma como controlávamos Mario. Pela primeira vez, podíamos andar em qualquer direcção e ainda ver os cenários duma forma panorâmica e livre. Mesmo sendo isto, desde já revolucionário, outra das revoluções que este jogo viria impor no futuro da criação dos jogos foi a forma como permitia ao jogador fazer as suas próprias escolhas, através duma noção de livre acesso às várias áreas do jogo. Se nos jogos anteriores até então era comum que os jogos seguissem uma linha de história, percorrendo apenas os níveis de forma predefinida e linear, em Super Mario 64, os seus criadores começaram a detectar a importância de delegar no jogador a escolha do seu próprio caminho. Cabia, pois, ao jogador, através dum nível de jogo que permitia o acesso a todos os outros níveis, escolher que parte se pretendia jogar. Hoje em dia, em que todos nós já nos fartámos de jogar os chamados sandboxes, isto até pode não parecer nada de especial mas, recuando 15 anos (!) no tempo, perceberemos o quão à frente da sua época estava Super Mario 64.

Em termos de jogabilidade, é verdade que o controlo de Mario exigia um certo tempo de adaptação – afinal de contas o 3D era uma novidade para todos – mas, ao fim de pouco tempo, todos estavam à vontade com os controlos e a conseguir fazer muitíssimas piruetas. Os movimentos de Mario são também outro dos pontos fortes deste título. Desde cambalhotas, múltiplos saltos, até uma pequena secção de breakdance, Mario faz de tudo. Saltar para dentro duma tela para aceder a um nível ou vencer Bowser pegando na cauda deste e fazê-lo rodopiar pelo ar são daqueles momentos épicos que jamais um jogador esquece, mesmo depois de jogar tantos outros jogos.

Poderia estar aqui a nomear as demais qualidades e momentos inesquecíveis com que Super Mario 64 nos brindou mas vou optar por concluir dizendo que, tanto em 2006 como no dia de hoje, este é um dos melhores jogos que já foi feito e é exemplo para todos os criadores de jogos (ou aspirantes) numa premissa: é necessário reinventar-se. É necessário ir além, transpor barreiras, tornar-se universal, influenciar gerações futuras, criar sem se basear nas criações já feitas. Basicamente, foi isto que Super Mario 64 conseguiu. E, como tal, é uma obra prima no universo dos videojogos.

Visto por: João Sousa

 

Este é um daqueles jogos que sem dúvida fará parte dos livros de história e fico orgulhoso de ter presenciado o lançamento deste jogo e pensar “isto realmente é diferente!”. O pai dos jogos em ambientes tridimensionais mostrou que os jogos do Mario não precisam manter-se apenas em uma dimensão, nem em duas…mas também três!

Pontuação: 10

 

Visto por: Tommaso Veronesi

 

Um marco dos videojogos como é Super Mario 64 é completamente imune a criticas negativas. A dimensão do mundo a explorar, os gráficos ousados em 3D, todas as características do nosso amigo canalizador estão presentes, na minha opinião foi o melhor jogo da época e leva a nota máxima em tudo!

Pontuação: 10

 

Visto por: Luís Filipe Teixeira

 

A primeira vez que imagens de Super Mario 64 numa revista não queria acreditar nos meus olhos. A câmera ora estava atrás de Mario, ora à frente dele durante uma mesma acção. Parecia um filme! Um filme pronto a ser controlado por mim. Ainda só tinha jogado jogos com os gráficos da Super Nintendo e não percebia muito bem como é que se iria conseguir jogar dessa forma. Era tudo tão estranho e… novo! No mínimo, um jogo revolucionário.

Pontuação: 10

 

 

 

Autor: Hugo Pinto Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário