Swimmers

6
Longevidade: 6/10
Jogabilidade: 6/10
Gráficos: 7/10
Som: 7/10

Boa capacidade de entretenimento | Interacção com redes sociais que nos atribuem pontos

Uma curva de dificuldade algo complexa e prolongada (que poderá afastar os menos persistentes)

Trata-se do primeiro projecto para Android e iOS do estúdio Goaba Interactive sediado no Porto, agora com uma equipa remodelada para um recomeçar em grande. Swimmers pretende retratar de forma divertida e interactiva o mundo escondido das profundezas do oceano, numa espécie de concurso anual entre espécies numa escola de peixes. Para este surgem candidatos de todos os cantos do mundo, dos quais apenas cinco são seleccionados para a prova final. Para este ano os the chosen one foram: Sheephead – um candidato estreante, representante do México e aquele com vamos iniciar o jogo, visto que é o único que se encontra desbloqueado; Napoleon – que tal como o nome deixa antever representa a França; Pirana – um dos mais ferozes nadadores com excelentes capacidades e que traz nas barbatanas a bandeira do Brasil; Dolphin – o segundo classificado do ano passado e que por si só é uma ameaça para os restantes concorrentes que representa os USA; e por fim Shark – o campeão indiscutível da Australia. São essas cinco personagens que vamos poder controlar ao longo de Swimmers.

S2

A verdade é que esta história que contextualiza o jogo e ajuda a inserir o jogador na temática, passa muito despercebida para quem pega em Swimmers pela primeira vez. O que é pena. O jogo inicia apenas com a possibilidade de definirmos algumas configurações, tais como; áudio e qualidade dos gráficos (esta última muito bem pensada na minha opinião) para quem não possuir equipamentos com maior capacidade de processamento e a inversão dos controlos. Fora isso temos apenas leaderboards com os nossos resultados, um ícone para acedermos à loja (já lá vamos) e um botão para começar a jogar.

S6

Ao nível da jogabilidade estamos perante um daqueles títulos easy to learn, hard to master, tal como é referido pela Goaba Interactive. Apesar de tudo parecer bastante linear e simplista, é quando colocamos o dedo no ecrã que percebemos que não poderíamos estar mais enganados! O objectivo de Swimmers consiste em conduzirmos a nossa personagem através de arcos dourados (dos quais vamos obter determinadas pontuações), coleccionar uma variada lista de objectos, tais como diamantes (que passarão a ser a nossa moeda de troca) e simultaneamente, lidarmos com correntes que aumentam consideravelmente a velocidade do jogo ou até desviarmo-nos de minas submarinas, sendo que ao atingirmos a segunda, teremos que recomeçar o nível. A somar a estes vamos poder igualmente usufruir de habilidades especiais, como magnets que facilitam a apanha de peças especiais, sem que tenhamos que passar obrigatoriamente por cima deles, sendo apenas necessário passarmos junto às mesmas.

Os arcos dourados, como deve ser fácil de imaginar, não estão obviamente em linha recta mas sim em curvas. É é aqui que o controlo do nosso peixe se revela bastante complexo, tal como os timings para o fazer mudar de direcção rapidamente passam a ser desastrosos. Como devem imaginar posteriormente é difícil de recolocar o nosso peixe no caminho e sentido certo o que acaba por se tornar algo frustrante. Os comandos são dados pelo dedo do jogador, que sem o levantar vai indicando o caminho à nossa personagem. Note-se que o facto de tudo se passar debaixo de água, e por conseguinte também todos os nossos movimentos serem mais vagarosos e imprecisos está bem retratado, contudo, continua a ser bastante complexo conduzirmos até porto seguro.

S5

Claro está, que quanto mais rápidos formos no trajecto mais pontuação nos será atribuída e da mesma forma, quantos mais objectos conseguirmos coleccionar mais facilidade temos em adquirir novas funcionalidades. Aqui entra a loja. Nela vamos poder desbloquear, a partir dos diamantes que vamos apanhando, tanto habilidades – como magnets mais potentes, ou escudos – como as personagens que ainda se encontrarem bloqueadas. Se para as habilidades os valores pedidos não me parecem irreais, já para as espécies a concurso o mesmo não acontece, 2750 para conseguirmos Napoleon é algo para o puxadito. Por outro lado, se fizermos like no Facebook, e o partilharmos, ou até se o classificarmos são-nos automaticamente atribuídos pontos, que devo reconhecer, são bastante simpáticos! Sonoramente não desilude, chega a ser até uma lufada de ar fresco neste tipo de títulos, mas com o avançar da jogabilidade acaba por cair numa certa repetição esperada. Graficamente é um jogo interessante contudo, todas as espécies genericamente poderiam ter sido mais trabalhadas, com a criação de mais e melhores animações enquanto os controlamos, já que se apresentam demasiado estáticos, tal como os movimentos poderiam ser mais fluídos já que são eles o foco principal de Swimmers.

S3

Swimmers acaba por se revelar um jogo que consegue entreter sem grande dificuldade e é um lançamento bastante interessante para o estúdio Português Goaba Interactive. Tirando alguns aspectos que podem ser mais trabalhados, como o ainda bastante complexo manuseamento das nossas personagens – que com o tempo acaba por se ultrapassar é certo – Swimmers e toda a equipa que para ele contribuiu estão de parabéns. Quanto a nós, cá ficaremos à aguardar por novos capítulos!

Autor: Andre Santos Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário