The Walking Dead S2E2 – A House Divided

8
Longevidade: 8/10
Jogabilidade: 8/10
Gráficos: 9/10
Som: 8/10

Clementine de volta e mais madura | A Telltale a continuar a apostar nas jogadas certas!

Pouca acção… que não é mais do que uma preparação do que está para vir…

Após alguns meses de ausência desde o primeiro episódio, temos de volta a história sobre Clementine num universo pós Zombiano. E tal como na primeira temporada a Telltale continua a provar que sabe mexer com o jogador e naquilo que este sente! Se estiverem recordados, também um dos episódios da primeira temporada foi algo “contido”. Um em que se aprofundaram uma série de situações, mas essencialmente aquele em que se começaram a conhecer de forma muito mais aprofundada as personagens e as suas motivações.

TWDS02E02_2

O mesmo acontece neste A House Divided. Clementine já não é mesma, e este estado de espírito é comum a todos aqueles com que se vai cruzando. Agora com 11 anos, esta simpática personagem começa a moldar o seu comportamento perante todos os que a rodeiam, o que tendo em conta os acontecimentos para trás, não é nada de estranhar. Assim, Clementine já é muito cautelosa nas respostas que dá e principalmente a quem dá. Confiar em alguém neste universo é algo complicado – ainda que necessário – e a Telltale consegue transmitir ao jogador este constante estado de alerta com imensa facilidade.

TWDS02E02_6

Principalmente nas respostas que Clementine vai dando na primeira parte deste segundo episódio. A grande maioria das opções além de derrotistas são normalmente proferidas com uma certa agressividade, o que por vezes dificulta bastante a escolha do jogador na resposta que pretende dar, ainda mais se tivermos em conta a escassez de tempo que maioritariamente impera. O primeiro episódio termina com uma escolha difícil – salvar uma de duas personagens – e o início deste mostra o que daí advém. A desconfiança é permanente, principalmente quando percebemos que o grupo onde estamos inseridos também tem muito a esconder.

TWDS02E02_12

É aqui que entra Carver, a quem Michael Madsen empresta a voz de forma brilhante, uma personagem nova e repleta de potencial – e que a meu ver, se for bem explorada estará ao nível do Governador da série de televisão – que vem adensar a trama sob várias formas. Tal vai obrigar à desmobilização do grupo, com o intuito de procurar um novo local que sirva de porto seguro. Tal como nos episódios anteriores, estas deslocações são constantes e necessárias para o argumento avançar, mas por outro acabam por se tornar algo repetitivas, sabendo o jogador que de tanto em tanto tempo, algo se vai desenrolar e obrigar à recolocação. Para compensar, somos confrontados com situações limites ou imprevistas, o que apesar de resultar muito bem, não sei até que quando vai ser a solução “ideal”.

TWDS02E02_1

O que não se vive neste A House Divided é a intensidade de episódios anteriores. Tal como na primeira temporada a Telltale, estamos perante um episódio mais intimista e que serve essencialmente de preparação para os episódios que se seguem. Existe um forte aprofundar da componente humana, principalmente na vertente psicológica, além de variadíssimos diálogos e decisões a tomar. Mas tudo com a sensação de que as nossas escolhas nos vão pesar, e muito, num futuro próximo. Tal revela-se no momento ideal para repescar uma importante personagem do passado, como acontece com Kenny. O reencontro é delicioso e tocante, mas mais uma vez ficamos com certezas de que também ele já não é o Kenny que conhecemos.

TWDS02E02_9

No fim, fica aquela estranha sensação que o pior ainda está para vir. A Telltale continua a mostrar-se perita na manipulação de emoções e sentimentos, algo que acaba por ser imensamente apreciado pelo jogador. Agora já com mecânicas e estruturas bem limadas – apesar das ainda presentes paredes invisíveis e perspectivas de câmaras nada facilitadoras – tudo é teoricamente mais fácil e acessível a este estúdio que não tem, de todo, deixado ficar mal a sua comunidade. Não desanimem aqueles que possam sentir que não vale a pena jogar este A House Divided, pois não restam grandes dúvidas que este é um episódio de preparação… com a única certeza porém, que o que se aproxima… não será nada de bom para Clementine e seu grupo. Já para o jogador… o futuro de The Walking Dead parece-me, a todos os níveis, bastante risonho!

Autor: Andre Santos Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário