Tower of Doom

9
Longevidade : 10/10
Jogabilidade : 8/10
Gráficos : 10/10
Som : 6/10

Lançado em 1987, Tower of Doom é um jogo com uma profundidade do qual eu nunca esperaria encontrar na Intellivision, estamos a falar afinal de uma consola que ficou conhecida pelos seus clones de jogos como Pac-man e Space Invaders.

Tower of Doom é na sua essência um dungeon-crawler como Diablo ou Rogue, mas este apresenta-nos com algumas ideias absolutamente originais, especialmente se tivermos em conta a sua época e consola.

O jogo tem como objectivo escapar da Tower of Doom, esta pode ter entre 6 a 32 pisos dependo da dificuldade que escolhemos e daí teremos de explorar a torre.

Visão geral do jogo

Quando iniciamos o jogo a primeira coisa que reparamos são os 3 ecrãs em simultâneo que nos aparecem, estes são: um mapa que se vai desvendando à medida que exploramos a torre, o nosso inventário que contêm todo o equipamento que encontrámos e a visão geral do jogo onde controlamos o nosso personagem.

Existem dezenas de armas, itens, poções, armaduras e até armadilhas espalhadas por cada piso, ao principio sentimos-nos algo confusos porque não sabemos quais são os efeitos de nenhum destes objectos, até porque muitos dos objectos que encontramos possuem efeitos maliciosos como poções que nos retiram força ou que nos tornam mais lentos, como tal é aconselhável que disponham de um papel e caneta para anotarem quais os itens que não devem apanhar, até porque muitas vezes estes apenas diferem na sua cor.

Jogabilidade

O combate é uma das maiores proezas gráficas que já vi na Intellivision, quer o nosso personagem quer os seus inimigos são muito detalhados e com excelentes animações (tendo em conta o sistema é claro), infelizmente esta é o maior elogio que o posso atribuir, isto porque o combate é muito superficial, só temos um ataque e apenas nos podemos mover para a direita ou para a esquerda, no entanto se quisermos evitar os inimigos podemos subornar-los com tesouros ou outros objectos que vamos encontrando.

Já o sistema de level up do jogo é bastante diferente do que estamos habituados, isto porque não existem  “pontos de experiência” como nos outros RPG, em vez disso ganhamos experiência ao coleccionarmos tesouros, o problema é que estes também podem ser usados para subornar os nossos inimigos, como tal teremos de fazer escolhas, outro aspecto interessante passa pela evolução dos nossos “stats”, cada vez que matamos um monstro a nossa força sobe mas a diplomacia desce, por outro lado ao subornamos um inimigo presenciamos o inverso, esta tarefa é dificultada pelo facto que nem todos os monstros podem ser mortos.

Outro aspecto a ter em consideração é a alimentação do nosso herói, se este não se alimentar eventualmente começamos a perder pontos de vida, se aliarmos isto tudo às armadilhas, poções e itens cujos os finais não os conhecemos até ser tarde demais, Tower of Doom demonstra ser um dos jogos mais complexos do seu tempo.

Gráficos

Quando estamos a explorar a torre os gráficos são bastante bons, o herói está bem animado e conseguimos ver o seu escudo e a sua arma, já os monstros é que custa um pouco a perceber o que é que estes são, mas quando entramos numa batalha parece que pulámos um geração e que sem dar por isso entrámos no território da NES, nunca esperei que a Intellivision conseguisse esta proeza gráfica, os monstros e as suas animações são perfeitas, conseguimos perceber o que estes são sem usar a imaginação, até conseguimos ver o capacete e as articulações da nossa armadura.

Som

Possivelmente o grande ponto fraco do jogo, efeitos sonoros mínimos e não possui música, em vez disso estamos constantemente a ouvir a batida do coração do nosso herói, admito que é uma ideia interessante, mas a longo prazo torna-se monótono

Longevidade

Com um vasto leque de masmorras por onde escolher Tower of Doom dá-nos um forte incentivo para recomeçar o jogo, se as primeiras masmorras são fáceis de acabar por apenas terem 6 pisos já as ultimas resumem-se a 32 pisos de tortura, imensas vezes encontrei-me a fugir pelos corredores à procura de qualquer item ou poção que me possa restaurar pontos de vida.

Em resumo

Tower of Doom é um daqueles jogos que nunca ouvimos falar antes mas quando o experimentamos ficamos agarrados, felizmente este está disponível no game room do Xbox live arcade por apenas 240 MS points (3€) e com algumas melhorias incluídas como por exemplo online leaderboards, tornando esta uma aquisição obrigatória para os fãs da pré-história dos videojogos.

Autor: Goncalo Tordo Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário