VITA PETS

7
Longevidade: 7/10
Jogabilidade: 7/10
Gráficos: 7/10
Som: 7/10

Boas mecânicas na jogabilidade | Animais extremamente realistas e cutes

Um público-alvo muito bem definido, o que acaba por afastar, por exemplo, os mais graúdos

O mundo dos animais chegou igualmente à consola portátil da Sony. Apesar do título ser algo genérico no que aos animais diz respeito, podemos escolher, ao abrirmos o jogo, entre várias espécies (e feitios) de cães. São estes que nos vão acompanhar, e imagine-se, falar connosco. Este género já provou ser um bastante forte, no qual uma certa faixa etária gosta de apostar, mas para mim, devo confessar que se tratou de uma primeira vez nesta lides da educação de cães electrónicos e falantes.

PlayStation-Vita-Pets-Sala-de-cachorros_690

Apesar de se tratar de um objecto completamente diferente a verdade é que rapidamente me veio à memória o eterno sucesso de Tamagochi, que apesar de algumas limitações, conseguia, é certo, incutir um forte espírito de responsabilidade e ligação com aquele ser digital, que pouco ou nada oferecia em troca à criança, ou jogador, mas que ao mesmo tempo nos conseguia tanto chamar a cativar a atenção.

VP2

Muitas das funcionalidades mantêm-se, até porque são já apanágio do género em si, pelo que caberão ao jogador as mais variadas funções básicas, tais como: dar banho, “vestir”, treinar, alimentar, passear ou até ensinar truques ao nosso amigo canino e, claro está… limpar o cocó que este deixar pelo caminho, ou podemos incorrer em multas. Pode-se escolher o nosso cachorro de entre quatro tipos, sabendo de antemão que cada um tem, além de uma determinada raça, uma personalidade, e uma voz, que serve tanto de elemento de interacção para com o jogador, bem como de tutorial, já que o cão por vezes nos dá pistas do que lhe apetece fazer, ou então do que ainda não está apto para realizar.

VP5

Além destas actividades típicas e quase obrigatórias nas lides de um animal doméstico, vamos poder igualmente brincar com o nosso animal, entrar com ele em aventuras ou jogos de exploração de diversas áreas, bem como resolver em conjunto puzzles, que o ajudam a desenvolver-se e a crescer. A mecânica de jogo é interessante, e certeira para um público-alvo mais infantil, mas o primeiro impacto com o jogo de um adulto também não deixa de ser engraçado. Os cães apresentam-se bastante realistas, já para não falar das suas animações, que em algumas ocasiões, me deixaram na dúvida se não estaria mesmo na presença de um canídeo, devido a tanta expressividade e naturalidade.

VP3

Algumas funcionalidades da Vita são inseridas na jogabilidade, como é o caso da realidade aumentada, ainda que sem grande relevância para o jogo em si, pois resulta mais num efeito estético (bem conseguido, sem dúvida), como é passar o cãozinho no nosso jardim, ou até pela nossa casa, utilizando a câmara traseira da consola. É a partir do ecrã táctil que comunicamos com o nosso animal de estimação e que lhe indicamos o que fazer. As funções disponíveis aparecem realçadas e ao mesmo tempo vamos recebendo o feedback por parte do cão, sobre aquilo que está a fazer. O microfone também tem as suas funções, como por exemplo, darmos um nome à nossa figura canina, e a câmara frontal permite-nos tirar uma fotografia nossa, para que este possa assim conhecer-nos.

playstation-vita-pets-playstation-vita-1377079085-004

Sonoramente, há um grande enfoque nas vozes dos cães. Na versão em Português que testei podemos ouvir um Português de Portugal, com uma dicção e entoação perfeitas e que irão fazer maravilhas, tanto para os mais novos, como para os respectivos pais. O ladrar e respectivos efeitos sonoros, bem como toda a música, adequam-se e enquadram-se dentro do estilo do jogo, se bem que esta última, e um pouco à imagem do é habitual… acaba com o tempo por se tornar algo descartável. Todavia, e como é um jogo que apresenta várias sidequests, a música também vai alterando com frequência. Visualmente Vita Pets não desilude. Os cenários são coloridos q.b. e a profundidade 3D destes também envolve o jogador e o nosso “canito” no espaço. Todas as actividades que fizermos com o nosso cachorro atribuem pontos de amizade, que por sua vez vão desbloqueando outras funções ou truques, como por exemplo, sentar ou rebolar.

VP4

Apesar de ser um título direccionado para um público mais infantil, Vita Pets acaba por ser um jogo divertido de jogar em família e a solo, já que a presença da figura do cão é realmente enternecedora. Para quem gosta de cães e não possa ter um, esta é de certeza uma experiência a ter em conta, mas se na eventualidade de não quiser ou achar até necessário levar tão a sério este título, não se preocupe, que ainda assim subsiste um jogo com algumas ideias muito pertinentes, e que garante seguramente algumas horas de bom entretenimento.

Autor: Andre Santos Pesquise todos os artigos por

Deixe aqui o seu comentário